Três sugestões de passeio para dar férias para o seu carro

Conceda uma folga para o seu companheiro de todas as horas de trânsito e curta como passageiro três passeios retrô

Mês de férias e naturalmente de marcha mais lenta, esse período pode ser uma época de descanso também para seu carro. Assuma o papel de passageiro em três passeios retrô: uma viagem de ônibus pelos pontos turísticos de São Paulo, uma volta no bondinho de Santos e uma ida de trem à antiga Vila de Paranapiacaba, em Santo André.

Relaxe e repare na paisagem que você nem sempre consegue apreciar quando está ao volante.

Trem bão

A maria-fumaça cruza Paranapiacaba: passeio sobre trilhos

A maria-fumaça cruza Paranapiacaba: passeio sobre trilhos (Ricardo Rollo)

O concorrido Expresso Turístico da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) faz uma viagem no tempo até a Vila de Paranapiacaba. Construída em meados de 1860 para abrigar os operários da São Paulo Railway, ligação ferroviária entre o planalto e o litoral, esse distrito de Santo André mantém prédios em estilo inglês do século 19.

Com embarque aos domingos, a locomotiva a diesel leva dois vagões da década de 1950 e 174 passageiros para a serra do Mar. Dentro do trem, os funcionários da CPTM estão vestidos a caráter, com gravata vermelha e quepe cinza.

A composição parte pontualmente às 8h30 da Estação da Luz e retorna às 16h30, tempo suficiente para conhecer as principais atrações do vilarejo. O Castelinho é uma delas. Casa erguida para abrigar o engenheiro-chefe inglês que comandava a ferrovia, ela fica posicionada no alto de um morro com visão panorâmica para a estação e seu relógio, que remete ao famoso Big Ben londrino.

Os moradores gostam de contar que ali teria nascido a expressão “para inglês ver”, já que os trabalhadores podiam ser constantemente vigiados pelo chefe dede cima.

A vila também abriga o Clube União Lyra Serrano, onde é possível conhecer a história de Charles Miller, que morou por um tempo no distrito e foi o responsável por trazer o futebol da Inglaterra ao Brasil. Os aficionados por trem podem parar no Museu Ferroviário Funicular e dar um passeio de 500 metros a bordo de uma maria-fumaça.

Faça uma boquinha no tradicional Bar da Zilda, que serve comida caseira. Se tiver fôlego, vale enfrentar 3 horas de caminhada por uma trilha que leva a um mirante de onde é possível observar a Baixada Santista. O lugar faz jus ao nome Paranapiacaba, que significa “de onde se avista o mar”.

 

Meu nome é bonde

Quem perdeu o bonde, na época em que eles eram um importante meio de locomoção nas grandes cidades, tem a chance de sentir o gostinho de andar no mais charmoso dos antigos transportes coletivos. Na estação do Valongo, no centro histórico de Santos, cinco bondinhos do século 20 sinalizam que o passado ainda sobrevive por ali. Os carros já transportaram quase 1 milhão de turistas em dez anos de funcionamento turístico.

No roteiro de 5 km, passam em frente a 40 pontos. A primeira parada é o Palácio Saturnino de Brito. No local, o passageiro pode visitar o edifício que tem o nome do engenheiro que criou o plano de saneamento para Santos. Hoje, um museu dedicado ao assunto ocupa as suntuosas salas. Outro prédio que vale a visita é o da Bolsa Oficial do Café, de 1922.

O funicular leva a um mirante: vista de Santos a 150 metros

O funicular leva a um mirante: vista de Santos a 150 metros (Ricardo Rollo)

Ele abriga um acervo histórico que mostra a trajetória do grão e sua influência na construção de Santos. Próximo dali está o acesso para o monte Serrat. A cerca de 150 metros de altura, o mirante permite uma vista exuberante de grande parte da cidade. Funiculares levam você até lá. De volta ao bonde, siga viagem até o Outeiro de Santa Catarina, local em que a cidade foi fundada, em 1546. Se sua praia não é história, é possível permanecer no bonde e percorrer todo o trajeto em 50 minutos até voltar ao ponto de partida.

 

Turismo de ônibus

O percurso leva três horas e passa por oito pontos turísticos

O percurso leva três horas e passa por oito pontos turísticos (divulgação)

O ônibus de dois andares para turistas conhecerem 11 principais cartões postais de São Paulo roda pelas ruas da capital feito um carro alegórico. Basta fechar o farol para que dezenas de pessoas saquem seus celulares engatilhados na câmera. O serviço foi inaugurado pela Prefeitura com bilhete a R$ 40.

Partindo da Praça da República, o coletivo passa pelas principais atrações da cidade como Estadio Pacaembu, Masp, Parque do Ibirapuera, Praça da Liberdade e Theatro Municipal.

As passagens custam R$ 40

As passagens custam R$ 40 (divulgação)

Nos pontos de embarque e desembarque estão instalados totens indicativos com informações via QR Code, que permite acompanhar em tempo real a chegada do veículo pelo celular. Os aplicativos Moovit e Coletivo também informam a localização dos ônibus.

Comentários
Deixe uma resposta

Olá, ( log out )

* A Abril não detém qualquer responsabilidade sobre os comentários postados abaixo, sendo certo que tais comentários não representam a opinião da Abril. Referidos comentários são de integral e exclusiva responsabilidade dos usuários que escreveram os respectivos comentários.

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s