Seu comparativo
TOP 10 QR
Os carros mais procurados da semana no site Quatro Rodas
  • Novo Sandero
  • Vezel
  • Novo Fox
  • Duster
  • HB 20
  • Golf
  • Novo Ka
  • Corolla
  • Civic
  • Saveiro cab dupla
  • | A-Z |
Newsletter
Assine a Newsletter QUATRO RODAS
PUBLICIDADE
Glossário do seguro
TEXTO  |RSS | Add to Google|

GLOSSÁRIO DO SEGURO

O que é importante saber ao escolher a seguradora do seu automóvel
POR CLÁUDIO GRADILONE

Comprar ou trocar de carro é uma das melhores sensações da vida de um motorista. Sensação é um termo bem adequado. Pergunte a um publicitário que precise criar uma campanha para uma montadora: a estratégia de venda apela às emoções do comprador. Mas esse apelo emocional não pode existir na hora de escolher um seguro. A frieza se justifica porque um seguro é um produto absolutamente utilitário. Seu propósito é compensar o cliente por um prejuízo em caso de um algum evento, apropriadamente chamado de sinistro: roubo, acidente de trânsito ou mesmo um vendaval ou uma enchente. Se nada disso ocorrer, melhor. “O seguro serve para reduzir um prejuízo, não para dar lucro ao segurado”, diz Marcelo Goldman, diretor da seguradora Tokio Marine.

Glossário

  Apólice

  Bônus

  Broker

  Cobertura compreensiva

  Corretor de seguros

  Franquia

  Indenização

  Perda total

  Prêmio

  RCF

  Sinistro

  Terceiro

Como escolher o mais adequado? Antes de mais nada, é essencial entender como ele funciona. O seguro é um contrato em que o proprietário do veículo paga uma quantia (o prêmio) à seguradora para que ela corra um risco no lugar dele. No caso de sinistro, a seguradora vai indenizar o segurado (veja na pág. ao lado o glossário com os termos mais comuns). Quanto maior o risco que o veículo ou seu motorista oferecem à seguradora, mais caro o prêmio.
Há mais um detalhe. Para se defender contra abusos, a seguradora exige que o motorista fique com uma parte do risco. Essa parte do risco é a franquia: em caso de sinistro, é um valor que o segurado tem de pagar ou que é descontado da sua indenização.
Indenização, prêmio, franquia: com esses três conceitos em mente, é muito fácil escolher o melhor seguro. Há dois grandes grupos de seguros à disposição dos motoristas brasileiros. Os mais completos são apólices sofisticadas e caras, conhecidas como Cobertura Compreensiva ou Total. Protegem o veículo do segurado contra incêndio e roubo e cobrem acidentes provocados por outros motoristas. É nessas apólices que os segurados com mais dinheiro no bolso encontram a maior variedade de serviços.
Numa tentativa de diferenciar-se, as seguradoras têm caprichado em oferecer benefícios diferenciados. Os mimos vão de serviços domésticos gratuitos como encanadores, eletricistas e técnicos de informática até um funcionário da seguradora que acompanha a segurada na hora de prestar queixa em uma delegacia – ambiente ainda pouco amigável às motoristas.
Na outra ponta, os seguros mais básicos são as apólices de Responsabilidade Civil Facultativa, ou RCF. Esse nome complicado quer dizer apenas que o segurado terá direito a receber uma indenização se ferir outra pessoa ou danificar outro veículo. É o famoso seguro contra terceiros. “É para quem quer proteção contra o pagamento de indenizações”, diz Osvaldo Nascimento, executivo responsável pelos seguros do Banco Itaú. Os seguros RCF são os que mais têm crescido no mercado, por serem mais baratos.
A explosão do financiamento criou uma situação bastante favorável para o segurado. O crescimento dos seguros não consegue acompanhar a expansão da frota. Por mês, chegam às ruas em média 260 000 novos veículos, e as estimativas são de que há de 35 milhões a 40 milhões em circulação no Brasil. Quando muito, só 20% deles têm seguro. “Muitos dos compradores do primeiro carro comprometem toda a renda na prestação”, diz Nascimento. “Por isso, não há folga para fazer o seguro.” Além de forçar as seguradoras a criar produtos mais populares, a tentativa de abocanhar fatias maiores desse mercado em crescimento levou a uma acirrada disputa comercial. “Os preços caíram de 15% a 20% em média em relação ao ano passado”, diz Paulo Umeki, diretor da Liberty. “As seguradoras estão dispostas a ganhar menos para conquistar mais espaço no mercado, e isso acaba representando uma vantagem para o segurado.”
E O DPVAT?
Esse é o conhecido seguro obrigatório, ou seguro contra Danos Pessoais causados por Veículos Automotores Terrestres. Foi criado em 1974 e destinase a cobrir os riscos de morte e invalidez permanente de qualquer envolvido em acidente de trânsito – motorista ou pedestre. Garante ao acidentado 13 500 reais em caso de morte ou invalidez e até 2 700 reais em despesa médica e hospitalar.
Escolha segura | Compare os valores | A divisão do prêmio | Dúvidas cruéis | Como economizar | Cobertura externa | Caiu do céu! | Terceiro tem vez? | Ninguém me quer...
ESPECIAL SEGUROS
RSS | Add to Google
COMPARATIVO DE SEGUROSVeja qual é a apólice que mais se encaixa no seu bolso: compare valores, benefícios e serviços oferecidos por 12 seguradoras
A tabela das seguradorasDescubra por que nem sempre a tabela padrão utilizada por todas as seguradoras corresponde ao preço real do seu carro
BOLSA DE VALORESVocê sabe por que o seguro do mesmo automóvel com o mesmo proprietário é barato numa empresa e sai caro na outra?
ORIGINAL DE FÁBRICAAntes de cotar o seguro com seu corretor, cheque na revenda. Você pode se surpreender com as apólices com aval da montadora
Quando você é o terceiroVocê tem de apelar para uma oficina credenciada pela seguradora do causador do acidente? Muita calma nessa hora
Quanto custa segurar carros especiaisQuanto custa segurar carros especiais em que o conserto de um retrovisor pode chegar aos 25 000 reais
Abrir mão para pagar menosQuer economizar na hora de assinar a apólice? Saiba o que você pode fazer para baixar o preço do seguro
Como proteger seu carroO que é importante saber ao escolher a seguradora do seu automóvel
A divisão do prêmio Conheça o critério que as seguradoras usam para estabelecer o preço da apólice
Dúvidas cruéis Existem situações em que o sinistro parece ainda mais sinistro. O que está coberto e o que não?
Dicas para economizar no seguroSeis sugestões de especialistas para você gastar menos na hora de assinar o contrato do seguro do carro
Cobertura externa Como funciona o seguro em outros países? Você sabia que nos EUA o motorista conta mais que o carro?
Caiu do céu! Acidentes acontecem de onde você menos espera. Esteja preparado para o que der e vier
Ninguém me quer... A maioria quer distância de antigos, superesportivos e picapes diesel, mas tem quem os receba